quarta-feira, 28 de maio de 2008

Luto

Geralmente escrevo coisas engraçadas, mas, este blog é baseado em fatos reais e nem tudo no buteco é alegria. Ontem a noite enquanto estava no balcão do buteco chegou um homem que eu nunca havia visto no bar. Chegou pediu uma maria-mole, bebida feita com contini, conhaque e limão, ele bebeu de uma golada só e desabafou: - Como é que eu faço? Olhei para ele que continuou: - Eu sai com um amigo meu e fomos a outro bar, lá encontramos um outro amigo que estava de moto, o amigo que estava comigo pediu pra dar uma volta na moto e enquanto ele andava veio um carro desgovernado e o pegou, levei ele para o hospital mas ele não resistiu, acabou morrendo. E agora eu estou a quase três horas andando sem rumo e me perguntando como é que eu vou fazer para avisar a mãe dele. Como chegar para uma mãe e dizer que seu filho esta morto? Ele tinha só 22 anos! O homem pagou sua bebida e me olhou.
Fiquei em silêncio, porque não sabia realmente o que dizer. Pedi mais duas marias-moles bebi uma e dei outra a ele que tomou, agradeceu e foi embora.
Tentei por minutos imaginar o que sentia aquele homem naquele momento, mas sem resposta e em silêncio paguei as bebidas e também fui embora.

2 comentários:

Tom CoyoT disse...

A vida é um grande abismo e como ja disse quem gosta de abismo tem que ter asas.

Yu disse...

putz!
realmente é uma situação super complicada...
nossa. só de pensar dá uma angústia estranha..
responsabilidade complicada!!

bjos